Sunday, November 29, 2009

o progresso tecnológico e a evolução da culpa como motor da moralidade

tropecei num pé-de-alface
grande, verde e nutritivo
se das folhas não gostasse
proibiria seu cultivo

tropecei numa armadilha
fria, dura e insensível
toda vez que alguém me humilha
solto o verbo e baixo o nível

tropecei num telefone
útil, novo e dando linha
varo a noite agora insone
remoendo o som que tinha